A melhor parte de Traição na Netflix são as mulheres

Publicidade

Os destaques dá série Traição da Netfix são as mulheres. Apesar do ator Charlie Cox estar no elenco principal, as atrizes representam os seus papéis e brilham na trama de espionagem. Conheça o a história por trás de cada uma delas.

 

 

A virada do ano pode ser bem aproveitada assistindo a minissérie de suspense e espionagem na TV. A Netflix introduziu outra entrada na categoria de inteligência e espionagem com o ator Charlie Cox. E Traição é uma série cujas as personagens femininas que rodeiam a personagem de Cox, o Adam Lawrence. A atriz Oona Chaplin interpreta a esposa hispânica de Lawrence, Maddy De Costa, e dá vida e vigor emocional ao decorrer da série de cinco episódios. A brilhante Olga Kurylenko, quem já contracenou com Tom Cruise, é conhecida por filmes de ação. Aqui ela está no papel de Kara Yerzova, uma ex-espiã russa. Outas atrizes incluem a Tracy Ifeachor como a agente americana da CIA, Dede Alexander e a jovem Beau Gadsden como a adolescente de quatorze anos Ella Lawrence. É um comitê de mulheres fortes mantendo a série Traição em movimento.

 

Publicidade

Maddy De Costa traz sentimentos fortes à série

 

Todo bom suspense de espionagem deve ter uma personagem sentimental que sirva como um lembrete de por que tudo o que acontece no nível de segurança nacional é realmente importante para as outras personagens e para o público. Oona Chaplin é a Maddy De Costa e cumpre bem este papel. Como esposa de Adam Lawrence e madrasta de seus dois filhos, Ella e Callum, ela fornece a conexão entre os aspectos de espionagem do programa e a família. Maddy De Costa é uma madrasta que ama seus filhos como se fossem seus, acrescenta o importante aspecto de perceber o que está em jogo e fornece apoio emocional ao Adam Lawrence, que de repente se vê colocado na posição de chefe do MI6 após o Sir Martin Angelis (Ciaran Hinds) ser envenenado e hospitalizado.

 

 

Há muitas camadas em seu personagem, incluindo ela sendo atraída para um jogo mortal de alavancagem e política internacional que acaba levando-a a usar sua experiência militar para sobreviver. As personagens de Oona parecem se apaixonar por homens que colocam suas vidas em perigo, não é?

 

Publicidade

Kara Yerzova cuida das complicações

 

A Olga Kurylenko já esteve em filmes de espionagem.

 

Olga Kurylenko não é estranha ao gênero ação/espião, já tendo aparecido no universo da Marvel no filme Viúva Negra e contracenando com Daniel Craig na série James Bond. Sua combinação de inteligência e beleza foram bem aprimoradas ao longo de sua carreira. Ela é uma ex-espiã russa em Traição e deve operar nas sombras clandestinas dos cantos mais sombrios de Londres para negociar sua saída de uma confusão internacional onde ninguém é quem parece ser. É um mundo onde a confiança parece não existir.

 

A melhor maneira de uma espiã se envolver em tal complicação é por meio de uma boa inteligência que pode ser usada como moeda de troca para avançar sua posição no jogo perseguição em que ela está envolvida. O conhecimento é seu maior trunfo e ela o usa sempre que pode entrar e sair de situações difíceis que às vezes exigem um pouco de combate corpo a corpo, bem como o uso de seus encantos femininos. Kara prova ser o pacote completo e é muito adepta do que faz. É revigorante ver Kurylenko no centro do palco depois de fornecer suporte em papéis semelhantes no passado.

 

Dede Alexander representa os interesses americanos

 

Publicidade

 

Os americanos sempre participam da espionagem. A Tracy Icheafor tem a honra de interpretar a representante da CIA nesse suspense da Netflix. Sua personagem, Dede Alexander, está em Londres coletando informações sobre Adam Lawrence, de Charlie Cox, que os Estados Unidos suspeitam de estar comprometido e negociando segredos comerciais estrangeiros em troca de subir rapidamente na escada do MI6 (o equivalente britânico da CIA).

 

A lógica é que, se a Grã-Bretanha está de alguma forma comprometida, como nosso aliado próximo, os Estados Unidos também estão. Provar isso pode ser um pouco mais difícil, no entanto, já que ela também é uma boa amiga da esposa de Adam, Maddy, desde os tempos de militar, anos atrás. Equilibrar seus relacionamentos pessoais com Maddy e seu dever profissional para com seu país torna-se cada vez mais difícil à medida que sua amiga se envolve na confusão internacional entre os Estados Unidos e a Rússia.

 

 

Publicidade

Mateusvqp

Estudante de Letras

Deixe uma resposta

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo